Estudos recentes mostram que 70% dos adolescentes entre os 11 e os 19 anos sofrem de dores nas costas (coluna). Estas dores vão da dor de cabeça às dores ligadas à coluna como a dor cervical, dorsal, lombar ou mesmo da bacia. Em geral, estas dores são pouco valorizadas por aparecerem ocasionalmente e perdurarem pouco nos jovens desta faixa etária.

A que se devem?

São vários os fatores associados às dores de costas nos adolescentes, sendo os principais físicos, psicossociais e os relacionados com o estilo de vida. Os fatores mais comuns são os físicos. Estes incluem deformações congénitas no sistema músculo-esquelético (ex. perna mais curta), excesso de peso, traumas na prática de atividades físicas e desporto, crescimento rápido sem apoio de exercícios musculares, falta de alongamentos musculares, assim como os desalinhamentos biomecânicos das articulações (subluxações). Os fatores ligados ao estilo de vida são mais associados a sedentarismo, más posturas, horas despendidas ao computador, TV, consolas, tablets, telefone e qualidade do sono. Não se pode desvalorizar os fatores psicossociais, que ocupam uma mais pequena percentagem, e incluem causas relacionadas com as tensões musculares provenientes de depressão, ansiedade, insónias e inseguranças para mencionar algumas.

O que fazer?

Como existem várias causas, nem sempre é fácil detetar logo de início as predominantes. O melhor é sempre consultar um profissional de saúde especializado na área e que consiga fazer um diagnóstico neuro-musculoesquelético, isto é um exame à estrutura nervosa, muscular e óssea. Um exame biomecânico da estrutura músculo-esquelética tal como um estudo radiológico poderão ajudar ao diagnóstico.
Fora do consultório, as recomendações a seguir são muito importantes e contribuem para 80% dos resultados no alívio das dores relacionadas com a coluna vertebral. Em regra, uma postura quanto mais simétrica melhor. Quando tem que se estar na mesma posição durante vários minutos, deve contrariar-se regularmente a postura utilizada com alongamentos. Um exemplo será esticar o pescoço e a cabeça para trás aquando de leituras prolongadas.
A prática de um desporto poderá resolver várias das causas acima referidas pois quem pratica uma atividade física de forma regular, consegue adquirir uma maior resistência física, manter um peso corporal equilibrado; conseguirá um sono mais recuperador e sentir-se- á mais descontraído. Um equilíbrio mental e emocional graças a métodos de relaxamento trará, sem dúvida, um grande apoio à descontração muscular.

Consulte-nos para conhecer melhor os benefícios da quiroprática na sua saúde.

Marque uma consulta com um especialista